As Cinquenta Sombras de Grey

Se gostam de ler, visitam livrarias, ou se pelo menos ouvem falar de livros, já sabem que “As cinquentas sombras de Grey” é a nova triologia que anda a dar que falar!!

Mas sabem porquê?

O livro promete aumentar substancialmente a libído dos leitores, nomeadamente o publico feminino, numa história de conteúdo sexual depravado e sadomasoquista.

Mas o que realmente podemos esperar do livro?

Bem, logo no inicio podemos perceber a semelhança das personagens principais, Anastasia Steele e Christian Grey com Bela Swan e Edward Cullen. Porquê?

Anastasia similarmente a Bela, tem uma auto-estima mediocre, embora seja bonita o suficiente para que todos os rapazes seus conhecidos sejam apaixonados por ela. Não se interessam por roupa ou futilidades, são ambas destrambelhadas e sem jeito para qualquer tipo de desporto, e parecem ter as hormonas avariadas até aparecer o “tal”.

No caso da Bela, considero perfeitamente normal, pois é uma jovem que anda no secundário, tem 17 anos… Ok, é raro mas ainda assim aceitaval…

Mas quem consegue chegar aos 21 anos completamente assexuada por qualquer tipo de relações, onde todos os homens até á data são inatrativos, não se masturba sequer, e depois transforma-se de um dia para o outro numa máquina sexual de orgasmos múltiplos, alguns sem contacto e até enquanto dorme? Será esta ideia minimamente racional? Bom, para mim não o é.

Já Christian, tal como Edward, é um homem influente, bonito, rico, atrativo que parece ter uma necessidade desproporcionada de proteger, tal como a necessidade de presentes caros (no caso, ambos têm o mesmo desejo de trocar as latas velhas das protagonistas, por carros de luxo vistosos). Ambos aproximam-se  da “rapariga” descrevendo-se como perigosos, sublinhando o cuidado que estas devem ter antes de se aproximarem demasiado.

As conversas românticas são ambas do mesmo género. Centram-se na pouca auto-estima de protagonista por se sentir inferior ao lado de um homem tão bonito, mesmo que o homem lhe diga mil vezes, que está interessado e fascinado também. Uma espécie de “ Eu gosto de ti” seguido de “Não! Eu é que gosto mais.”

Algures no livro As cinquenta sombras de Grey há uma frase extremamente semelhante á saga Twilight, nomeadamente ao livro “Lua Nova”, qualquer coisa como: “ A minha memória não fez justiça á sua beleza. Ele é ainda mais bonito do que aquilo que me lembrava. Demasiado óbvio?

Mas voltando então ás cinquenta sombras. Na verdade li a primeira metade do livro quase seguida, e com alguma rapidez (sinal de que estava a gostar).

O livro é sexy, chama a atenção, e pode até ter ideias apelativas. Mas qual o problema da segunda metade?

Na minha opinião, tudo se tornou demasiado repetitivo. “ Não mordas o lábio debaixo Anastasia”, “ Vou foder-te agora Anastasia”, “Quero passar o dia a fazer sexo contigo Anastasia”… E infelizmente descreve mesmo todas as vezes que eles têm sexo… Ok isto teve piada as primeiras vezes, mas talvez a partir da sexta vez, já não me sinta tão interessada em seguir a vida sexual deles tão de perto. É simplesmente chato!

Algo que me mete confusão foi a transformação de Anastasia num Elfo Doméstico! “Sim Harry Potter senhor, tudo o que Harry Potter mandar. Fico feliz por servir a Harry Potter”

A ideia geral que tive no inicio do livro era (pensava eu) que embora Grey não passasse de um sadomasoquista Dominador, Anastasia Steele usaria a virgindade como carta debaixo da manga, para conduzir Grey a  algo que este também nunca tivesse experimentado. Mas a minha previsão não foi em frente, e foi realmente quando o livro me começou a desiludir.

Nisto (foi a gota de água) Mr Grey afirma quando Anastasia propõe pagar-lhe o jantar: “Agora queres castrar-me Anastasia?”

Hmmmm este homem já foi sodominado por uma mulher que lhe metia objectos “vocês imaginam onde…” Parece-me muito mais castrador do que pagarem-lhe um jantar… Mas isto sou só eu a dizer…

Critíco ainda a falta de promenores descritivos das personagens, e de regra geral a história ser quase na integra debruçada neles os dois. É quase sempre cortada quando os dois não estão juntos o que torna tudo ainda mais cansativo… Nem consegui sentir saudades do Mr Grey!

O história em si despertou-me um interesse mediano. Quero ler o resto da triologia, mas admito que não estou tão entusiasmada como quando o comecei a ler! E vocês? Já leram este livro? O segundo sai já em Outubro, e claro, não vou deixar de o ler, para perceber se a autora ainda me dará ou não a volta…